O vinho rosé e o clarete: diferenças

O vinho rosa e o clarete atingem o seu pico de consumo nas estações mais quentes. Não é nenhum segredo que o calor faz com que o nosso corpo e mente prefira vinhos mais frescos. Nestes casos, os vinhos brancos e rosé são aqueles que levam o prémio. Assim como, a gastronomia da península no verão também influencia a consumir branco e rosé nestas épocas do ano.

O Grão

Vamos começar fazendo a distinção entre o vinho rosé e o clarete. Isto é, o seu método de preparação, já que é algo que tendemos a complicar e enredar, pois a tradição das áreas de produção do clarete colidem com as definições legais destes tipos de vinho.

Para não entrar em disputas, debates complicados e classificações que vão levar a um beco sem saída, temos escolhido documentar-nos lendo artigos sobre o assunto e apreciando a opinião de viticultores, enólogos e amantes e os consumidores deste tipo de vinho.

Vinho Clarete

Qual é o clarete?

O claro é um tipo de vinho jovem feito com uvas vermelhas e brancas, resultando num vinho com pouca cor (rosa claro, salmão…) com aromas predominantes de flores brancas, pêssego, etc, Uma vez que tem uma elevada percentagem de uvas brancas . Na boca, encontramos uma maior acidez e amargura que vinhos rosé, mas muito fresco e fácil de beber.

Legalmente o vinho não existe com esse nome, mas ainda são comercializados sob outras categorias devido à sua elaboração. Se temos de classificar o vinho clarete, isso deve ser feito sob a categoria de vinho rosado. Além disso, o velho método de produção destes vinhos em que o vinho branco e o tinto são misturado está proibida pela União Europeia.

Como o vinho clarete é feito?

Para a preparação do vinho clarete, a fermentação parcial é realizada com as peles (a pele da uva) de uvas vermelhas. Em 24-48 horas, a cor é controlada até que o mosto atinge a cor desejada, e, em seguida, se prossegue ao descube (removê-lo da cuba) e continua a sua fermentação noutro tanque, sem a presença das peles.

O método de produção partilha características de produção com os vinhos tintos nos estágios iniciais e com o vinho branco a partir da fermentação. Assim sendo, dando como resultado com vinhos com características estruturais comuns aos vinhos tintos.

Vinho Rosé

O que é o vinho cor de rosa?

O vinho rosé é um tipo de vinho que se elabora a partir de uvas vermelhas ou mistura de uvas vermelhas e brancas (as últimas em pequena proporção) e a cor é mais escura, e geralmente mais viva que a obtida nos claretes.

Dentro deste tipo de vinhos, podemos encontrar diferentes classes, dependendo da tempo e do tipo de envelhecimento na adega.

Como o vinho rosé é feito?

Para fazer vinhos rosé, a fermentação é realizada sem as peles, a principal característica o distingue do vinho claro e torna a sua preparação parecida aos vinhos brancos.

Actualmente, existem dois métodos de processamento para os vinhos rosé:

Rosé de sangramento.  As uvas tintas são desengaçadas, maceradas e após 10-40 horas, dependendo da cor desejada, procede-se ao “sangramento”. Isto é, o mosto é extraído e deixa-se no interior as partes sólidas. Este deve ser transferido para outro tanque onde fermenta sem as cascas da uva.  Os vinhos rosé ​​feitos com este método são caracterizados por uma cor mais intensa e aromas de morangos e framboesas.

Rosa de prensagem directa. A uva (tinta ou branca em pequena proporção e tinta) é pressionada, dando ao puré um ligeiro toque de cor devido aos pigmentos do bagaço (a pele da uva).  O mosto resultante da prensagem fermenta-se noutro tanque sem as peles.  O vinho rosé produzidos com este método caracterizam-se por serem mais leves.

Então, qual é a diferença entre um rosé e vinho tinto?

Em suma, podemos dizer que as suas diferenças são:

  • O clarete só pode ser um vinho jovem enquanto o vinho rosé pode ser de diferentes tipos (jovens, criança, reserva ou grande reserva).
  • O clarete é parcialmente fermentado em contacto com a casca da uva, enquanto que o rosé não.
  • Um vinho clarete elabora-se com uma mistura de uva tinta e branca, enquanto que o rosé pode ser feito apenas com uvas vermelhas ou mistura de uvas tintas e brancas (as brancas sempre em menor grau).
  • O clarete assemelha-se  no seu desenvolvimento inicial ao vinho tinto, enquanto rosé ao do vinho branco.

Significado de um brinde

Você já se perguntou qual a origem do brinde e se era parte de um ritual especial? Normalmente, brindamos em celebrações com amigos ou família, mas será que este sempre foi o seu significado?

Versão 1

Viajamos para Grécia antiga para ver como esse ritual se reflectia na cerâmica e escritos da época. Era comum que os homens que marcharam para a guerra derramassem vinho no altar ou no chão como uma oferta aos deuses.

Embora o brinde nos lembre mais aos tempo dos romanos, os gregos foram os primeiros a colocar em prática o brinde. Quando uma grande festa era celebrada, os anfitriões levantavam os seus copos e bebiam-no primeiro, a fim de mostrar aos seus convidados que o vinho não continha veneno. Uma vez que esta era uma prática comum naqueles dias para matar o inimigo. Em seguida, fazia-se o gesto do brinde, chocando uns copos com outros, o que fazia com que o vinho de um se mistura-se com o do outro. Outro sinal de que o vinho não continha veneno, pois todos acabam por beber o mesmo selando assim a amizade e confiança entre eles.

Versão 2

No entanto, há uma outra versão sobre o gesto do brinde.  Esta versão coloca-o no século XVI, quando em 1527 o exército alemão de Carlos V entra Roma e toma posse da cidade. Para comemorar esta vitória, diz-se que os soldados alemães encheram os copos de vinho, levantaram-nos na frente de Carlos V e pronunciaram a frase “bring dir’s”  (em português: “eu ofereço-te”). A contracção da frase tornou-se “brinde” em italiano, e essa linguagem passou para o português.

O mito

Para os românticos, há um mito sobre como ao fazer um brinde incluímos o sentido da audição na degustação do vinho. Deste modo, estimulamos todos os sentidos: audição, visão, olfacto, paladar e tacto.

O mito é uma história estrelado por personagens fantásticas ou sobrenaturais. Esta conta uma vez no Monte Olimpo, Dionísio, o Deus do vinho, convidou os seus deuses e aos sentidos a um banquete generoso.

O sentido do tacto passou muito tempo a beber, ouvindo e falando com a fala. O gosto lambeu os lábios e atordoado expressou a sua satisfação em cada gole. A visão deleitava-se levantando a taça ao topo e olhando as cores e o brilho que reflectia através do sol. O cheiro não parava de fazer sons ao entrar no copo e cheirar como se fosse uma flor perfumada.

Enquanto todos os sentidos estavam ocupados a desfrutar, num canto estava a reclamar a audição. O Dionísio veio e ouviu o mais triste dos lamentos… Como podia ouvir o vinho? O Dionísio ofereceu-lhe para ir aos barris de fermentação e, assim, ouvir o vinho em preparação. Mas a audição queria participar na festa e não achava que era suficiente.  Foi assim que o Dionísio reuniu às  pessoas e disse: “Sempre que as pessoas se reúnam para apreciar o vinho devem brindaram para que para cada som diferente, seja cristal, madeira, barro ou metal, o ouvido possa desfrutar o tilintar”.

Outras histórias

Há teorias menos plausível, mas válidas. Como uma história pré-hispânica de centenas de anos que diz que ao beber vinho, necessariamente temos que abrir a boca, entrando assim maus espíritos. Então para evitar isso, há que chocar os copos para afugentar esses espíritos e desejar saúde.

Assim, este ritual tem sobrevivido até hoje se tornando popular em qualquer reunião, almoço ou jantar, como uma demonstração de fraternidade entre todos os que brindam.

O brinde nos dias de hoje

Em todo os brindes surge a questão sobre chocar ou não os copos. Embora seja suficiente fazer o gesto para o resto dos comensais, muitas vezes gostamos do choque dos copos. Porém, o mais correto é não o fazer.

Agora costuma-se  levantar o copo para o centro, dizer algumas palavras para justificar o brinde, chocar os copos entre si e beber.

Hoje, o protocolo proíbe usar um copo vazio, pois é sinal de desconforto, ou de água, que pode ser interpretado como um desprezo. Embora o padrão é fazê-lo com a mão direita, outros dizem que deve ser feito com a esquerda por ser a do coração. Existem outros tipos de brinde diferentes ao convencional, como atirar os copos ou recipientes contra uma superfície.

Estalviar comprant vi

Estalviar comprant vi gràcies als codis descompte

Avui us porte un article una mica diferent, però també relacionat amb els vins. Avui vull explicar-vos el meu secret de com estalviar comprant vi. Això sí, sense reduir la qualitat dels vins que consum.

Us agrada comprar per Internet? Des que l’esfera en línia es va assentar a les nostres cases, ara hi ha una nova forma de comprar. Millor dit, una nova manera d’estalviar, en qualsevol cosa, fins i tot comprant vi.

Amb l’arribada del món en línia, tenim a tan sols un clic l’opció de comprar a un bon preu. Per a més inri és tendència en els nostres dies elaborar de forma habitual campanyes de rebaixes per part de les botigues, encara que no sigui la temporada, sota el pseudònim de descomptes de primavera, acabaments finals o situar el black friday al seu gust.

Vi eCommerce

A més, m’he convertit en tot un expert en la compra en línia després d’haver descobert pàgines webs que es dediquen a recopilar i oferir codi descompte o cupons perquè l’estalvi sigui encara més eficient.

Si formeu part del grup que encara no coneix aquests avantatges, us explicaré millori com estalviar comprant vi de qualitat. Agafeu paper i bolígraf que us vaig a ensenyar com canviar un cupó prenent l’exemple des del web de MasCupon:

Procés per a fer-ho

El primer que hauràs de fer és entrar en MasCupon per trobar el codi descompte de la botiga que vulguis. Per aplicar algun d’ells al teu producte triat, primer has de seleccionar ‘veure codi’ i després ‘copiar’. Una vegada realitzats aquests passos, el web et redirigirà directament a aquest producte a la botiga original.

App de vi

Un cop a la botiga de la marca has de fer la compra. Quan estiguis d’acord amb els productes hauràs col·locar-los al carret de compra i serà el moment de canviar el codi descompte.

Al carret de compra t’apareixeran tots els productes seleccionats i és aquí on apareixerà una capseta on has d’inserir el codi descompte (que hauràs obtingut dins la pàgina de MasCupon). Un cop inserit es realitzarà una rebaixa en la compra final del producte que veuràs immediatament. Sí! Així de fàcil!

Després has de fer el pagament de l’o els productes com qualsevol compra en línia. Tan sols us queda gaudir dels vostres vins preferits.

Comprar vi online

Estigueu atents! Perquè les webs van actualitzant constantment amb impressionants descomptes i t’ofereixen la possibilitat de portar-te autèntiques gangues a tan sols un clic.

Bé, aquest és el meu secret per poder estalviar comprant vi de qualitat i sense renunciar a les millors cellers.

Per a fer tot açó només teniu que entrar a la pàgina web de MasCupon i cercar totes les ofertes que tenen.

Propietats del vi rosat

Anteriorment ja he parlat de les propietats dels vins blancs i negres, doncs avui parlaré de les propietats del vi rosat.

El vi rosat és aquell que té quelcom del color típic del vi negre, però només prou com per a donar-li un color rosa.

Aquest color pot anar del clar al fort quasi violeta, segons el raïm i les tècniques de producció usades.

Les seues propietats beneficioses no son tan reconegudes, per aixó a continuació explicaré:

PROPIETATS DEL VI ROSAT

Els rosats són vins plens de subtileses en l’aroma, en el sabor i en el color, i no tenen gran intensitat en cap d’estos aspectes.

Açò els convertix en un producte versàtil, capaç d’equilibrar un ampli palmito de plats i adaptar-se a totes les circumstàncies.

No hi ha necessitat de deixar-se portar per comentaris amb poc agafador i donar-se l’oportunitat de provar un vi, enaltirà molts plats de la nostra gastronomia.

Quant als maridatges, el rosat és l’acompanyant ideal per a la majoria dels plats que componen l’àmplia i rica dieta mediterrània.

vi rosat

Plats que, entre els seus ingredients, compten amb oli d’oliva, pastes, arrossos, sopes d’all, embotits, canapés, truites espanyoles i ensalades sense excés de vinagre.

A més, el rosat és una bona alternativa per a servir junt amb plats que a priori són difícils de maridar, com les propostes de les cuines orientals, per exemple la tailandesa, vietnamita, xinesa o japonesa.

És troba entre els aliments sense greix i compta amb un bagatge important de nutrients, beneficis i propietats del vi rosat que aporta a l’organisme.

Vegem a continuació una descripció dels seus principals nutrients i les quantitats de cada un:

0,95 mg. de ferro, 0,10 g. de proteïnes, 12 mg. de calci, 75 mg. de potassi, 0,04 mg. de zinc, 1,40 g. de carbohidratos, 7 mg. de magnesi, 4 mg. de sodi, traces de vitamina A, 0,01 mg. de vitamina B2, 0,07 mg. de vitamina B3, 0,03 mg. de vitamina B5, 0,02 mg. de vitamina B6, traces de vitamina B9, 0,01mg. de vitamina B12, 6 mg. de fòsfor, 66,90 kcal. de calories i 1,40 g. de sucre.

Els vins rosats són sempre la resposta correcta a l’espai entre els negres i els blancs. Per això tria bé que vi que abellix prendre hui i…

¡SALUT!